21
mai
2012

Analisando o Mortal Kombat competitivo

O senso crítico pode ser atrapalhado quando algum de nossos sentidos é incomodado. Podemos exemplificar isso com uma situação cotidiana: você vai ao mercado e percebe uma elevação absurda no preço do café. Logo vem a indignação: “Como pode o preço subir tanto assim?”, seguido de uma reclamação ao gerente. Se tivesse analisado melhor, – e também se informado um pouco mais - saberia das intensas geadas que castigaram as plantações regionais, da diminuição das importações por conta do preço do dólar, da obstrução nas principais vias rodoviárias por onde os caminhões passam com aquela mercadoria, e talvez de inúmeros outros fatores que interferiram naquele preço. Há muitos mais fatores econômicos que cercaram esse preço do que a simples ambição do mercado em lucrar mais. Mas o que isso teria a ver com Mortal Kombat?

Saindo como a promessa para reviver a franquia, a Netherealm trouxe aos fãs um título novo, baseado no enredo original que levaram aos combates mortais. O primeiro grande torneio foi realizado em Las Vegas, pouco depois do lançamento do jogo, trazendo as primeiras impressões no âmbito competitivo. Premiado pela PDP, o Kung Lao de Justin Wong apontou as primeiras questões que incomodariam a comunidade. Vieram então changelogs, nerfs para cá, nerfs para lá, buffs para cá, buffs para lá. Quando os jogadores de Cyrax começaram a brincar com resets que jogavam os adversários como bolinhas de tênis, houve a tentativa de correção. Resets foram tirados, outros – talvez até mais abusivos – foram criados sem essa intenção, e as reclamações continuaram. Os torneios seguintes trouxeram uma reflexão crítica aos que reclamavam: por mais extensos que fossem os combos, havia a possibilidade de pará-los ou evitá-los se tomar cuidado, aproveitando ainda do zoning lento e do teleport unsafe do Cyrax, explorando ainda as desvantagens que meu próprio personagem oferece. Baseada nessa evolução de mentalidade, Cyrax dificilmente chega atualmente ao top 8 nos torneios norte-americanos - e no Brasil só é um pouco diferente pelo diferencial de jogo do Mr. Diogo. Em resumo, “aqueles que gritavam ‘apelação’ foram simplesmente deixados de lado”. Essa citação não lhes parece familiar?

mortal kombat colunas analises  Analisando o Mortal Kombat competitivo resets Mortal Kombat MK9 Cyrax Competitivo combos    MK meme cyrax .jpg

Ausência de updates não é crime, por vezes é necessária para que o próprio jogo desenvolva seu metagame, seu jeito de se jogar o jogo. Kabal não era visto como o melhor personagem, até descobrirem com o tempo que ele não tinha nenhuma match-up ruim. Qualquer que fosse o personagem que você jogasse, Kabal seria melhor no zoning, no rushdown, na vantagem em pressão, de perto, de longe, na velocidade em que forma barras. E assim é como ele joga para vencer. Assim como em uma partida Kabal contra Cyrax, o enorme potencial de combo do robozinho-mostarda é a única vantagem dele. E diminuíram-se as reclamações.

O mistério fica por conta se haverá modificações nos próximos meses. A chegada ao Vita não trouxe mudanças significativas, e a possibilidade é que a situação permaneça. E isso não é ruim para a comunidade. Não precisamos totalmente dessas modificações para tornar os torneios cada vez mais competitivos, afinal o jogo já tomou suas rédeas de estabilidade. Combos enormes podem ser evitados de várias formas. E o Breaker é apenas uma delas.

Atualmente, vale ressaltar dois quesitos que foram largamente discutidos pela comunidade de Mortal Kombat nos últimos meses: a vantagem em pokes do Player 1 e a diferença de tamanhos dos cenários. REO explicou como esses dois quesitos afetam uma partida em nível competitivo:

A questão principal da primeira discussão é com relação aos pokes (movimentos rápidos) prioritários. Em resumo, se dois pokes de mesma duração de frames forem executados ao mesmo tempo e em posição neutra pelos dois jogadores, o poke do primeiro jogador atingirá o adversário. Dificilmente isso causará danos maiores do que um simples poke, mas a questão está na pressão adicional em que o segundo jogador está submetido, visto que não possui um meio seguro de distanciar o jogador a partir do mesmo poke em duração de frames. Isso acontece poucas vezes em uma partida e em limitadas match-ups, mas é suficiente para causar uma discussão de igualdade dentro do jogo. Isso é vantagem para só um dos jogadores? É. Podemos resolver rigorosamente isso com uma simples troca de posições. Mas não vemos isso nos torneios, pois essa vantagem não irá lhe custar o jogo.

A outra discussão já é bem mais efetiva no metagame. Os cenários de Mortal Kombat apresentam tamanhos diferentes, o que beneficia ou prejudica personagens que dependem desse posicionamento. Afinal, em qualquer fighting game o espaço limitado do canto é sempre digno de combos maiores ou rushdowns mais agressivos. A solução mais conveniente, utilizada em alguns torneios como a Major League Gaming, é a de permitir a troca de cenários entre as partidas, afinal eles influenciam a efetividade do seu personagem, e diversificam levemente o metagame do jogo.

Apesar das discussões citadas, Mortal Kombat é um jogo competitivo. Os problemas apontados recentemente não impossibilitam suas chances de vitória – eles são contornados, mas não inexistentes. O jogo em alto nível é afetado ligeiramente, porém nunca vi um jogador levantar indignado por perder uma partida por conta do poke preferencial que ele tomou no meio do round. O resultado se resume à todo seu desempenho durante a partida, e é quase inexistente o fator “vantagem de jogador” perto de todas as ações que você poderia ter tomado para vencer aquela partida.

Houve um avanço – como todo bom jogo competitivo – das principais questões de metagame. Passou-se o tempo em que os combos eram a principal fonte de reclamação – hoje gastamos duas barras sem reclamar, prestando atenção para não errar novamente. Em nível nacional ou internacional, o cenário vem evoluindo, descobrindo novas estratégias, novas formas de pressão, novas formas de contra-ataque, novos jogadores. A comunidade hoje tem um olhar muito mais crítico para seu produto, evitando assim reclamações desnecessárias para seu gerente.

20 respostas a Analisando o Mortal Kombat competitivo

  1. Azis Rafael disse:

    É um jogo competitivo, Forkxx, mas tem que eliminar essas diferenças no tamanho do cenário, de vantagem de player 1, etc. Alguns problemas são críticos, outros, nem tanto. CVS2 tinha um cross-up no canto se o pulo fosse vazio e isso era resolvido com sorteio, pois a possibilidade era a de aumentar uma opção de mixup, e se o personagem caído, ao levantar, se defendesse bem, o atacante que tentou este mixup ficava no canto, o que, naquele jogo, era estupidamente desvantajoso. 

    Além disso, acho que gastar barra para parar um combo que pode ser tentado depois uma solução ruim. 

    Resets não podem ser simplesmente resetados no sistema de combos. Isso existia no MVC1, o Wolverine às vezes resetava o Damage Scalling e fazia um loop de combo que acabava com seu life. Se o jogo tiver resets, que eu particularmente adoro, que ele depende de um alto risco e da inteligência do jogador atacante e do oponente defensor, em cima de possibilidades. 

    Um reset não pode ser uma bolinha jogada no tempo certo, indefensável, ou um golpe carregado indefensável que derruba o jogador no gelo para iniciar outro combo.  Um reset tem que ser arriscado.

    A melhor frase para o Cyrax ali seria "eu não faço sempre combos de 70%, e quando faço, me arrisco muito pra isso", ou "e quando faço, gasto todas as barras", tipo isso.

    Maximum damage e outras coisas na história do Mortal Kombat, eu não sei o por quê, mas nunca me agradaram muito.

  2. A unica coisa que acho que tem que corrigir no mortal e os combos do sektor arranca muito life com uma barra eu faço 55% de dano ja levei combo assim também acho muito legal os cara que joga no reset ou no zoning e pressão com kabal eu não liga se usam comigo desde ninguém reclame do noob meu kkkkkkk muito bom artigo ate a próxima

  3. acho que sektor é digno desse dano pq ele não tem golpe amor e os ataques de levantamento dele não é tão bom quanto dos outros personagens

  4. Talvez eu seja mesmo o que esse artigo apresentou. mas não me venham dizendo que NÃO EXISTE APELAÇÃO porque isso EXISTE.

    uma coisa é jogar pra ganhar (E isso eu sempre entendi) outra coisa é jogar pra curtir… pra utilizar personagens que voce ainda não se adaptou muito bem, mas que queira utilizar.

    Se tu ficar longe tocando MIL MAGIAS… SIM, isso é uma apelação!
    Por mais que o artigo tenha sim fundamento e obviamente deixa claro que um game de luta É ALGO COMPETITIVO, mesmo assim acho que dizer: Ah isso no existe, é coisa da sua cabeça, é uma mentira absoluta.

    voce vai dizer: Ah é estrategia.
    É estrategia voce ficar longe e lançar magias feito um atirador? desculpa ah quem faz isso, mas isso não é estrategia.

    Claro, vamos dar um exemplo… marvel vs capcom 3. Você tem o Hulk que obviamente você não vai peitar ele diretamente… tem que saber a hora certa. Mas temos a X-23 que da golpes tão rapido que facilmente quebram a auto defesa do verdão…

    Se fosse num campeonato ou algo que valesse alguma porcaria… eu realmente não ligo se a pessoa apela. Por mais que irrite, ele ta fazendo aquilo porque deseja a vitoria… MAS se voce esta jogando apenas pela diversão, pelo prazer… Porque em vez de ser tão competitivo, voce não aproveita?
    Porque não arrisca usar persoangens que voce nunca usou?

    Na boa… eu curti o texto mas achei ele muito… como posso dizer… Ele parece feito por um jogador fodão ou que usa taticas repetitivas pra dizer: Poh é eu que sei jogar e você não e fica ai chorando que é apelação.

    • Azis Rafael disse:

      Só é apelção se não der pra sair mesmo, se for inevitável, e se for uma vantagem injusta. Em Xmen vs Street, não dá pra sair de infinito, mas (quase, depende da versão) todo mundo tem um infinito fácil de encaixar, e quem não tem, arrebenta muito (Charlie e Juggernaut, dependendo da versão também).

      O negócio do termo apelão no texto se refere ao comentário de alguém que não conhece profundamente o jogo. Magia mil vezes não é tão ruim se é só pular mil vezes. Se não desse pra pular, aí seria apelação.

      Apelação é um homem de 25 anos arrebentar um menino de 7, tipo uma covardia inevitável.

      •  Concordo quase que plenamente.
        Uma coisa é voce conhece os personagens e saber como agir perante cada um deles. Outro é você no conhecer nada… tentar fazer algo e ainda dizer: isso é apelação.
        Eu posso me dizer um lutador experiente (Não sou bom, não faço metade da sequencia que muitos devem fazer), mas eu tenho noção de quem apela.
        EM Ultimante Marvel vs Capcom 3, ah varios videos de luta que eu vejo e digo: isso é apelação. COmo tu pegar o Chris e o Haggar… sair pulando com o haggar toda hora e deixar o chris atirando reto com a metranca.
        Na boa… Por mais que digam que isso é jogo de profissional, ainda acho apelação pois tu meio que bloqueia todas as opções de ataque e deixa a pessoa na defensiva. Fazer isso algumas vezes pra conseguir exito em um movimento no é o problema, o problema é fazer isso SEMPRE!

        Por exemplo, com o Hulk e o Doom eu faço o ataque do hulk, a ombrada e chamo os misseis do doutor destino… Se eu só fizer o ataque do Hulk eu o deixo muito exposto, então o Doom precisa sair pra eu poder realizar meu ataque e precionar meu adversario.

        O problema é que as vezes o doom leva e eu sou punido por utilizar isso.
        Ou seja, caso algo de errado eu posso acabar perdendo muito. Então não vejo isso como uma apelação tão grande (mas eu tenho em mente que é apelação fazer isso SEMPRE).

        Mas em muitas caso eu já vi gente usando a morrigam e o Doom e fica só na magia… trancando quase todas as formas de um ataque. ISso é justo? isso é jogo limpo? onde ta o prazer em lutar? É ai que voce ve quem joga pra ganhar e fará de tudo pra isso, e quem joga pra realmente curtir o game e vencer sem ser escroto

  5. Michel Bruno disse:

    muito boa materia, parabéns, apesar desses problemas eu ainda acho esse Mk um dos jogos mais equilibrado e competitivo da atualidade……

  6.  Muito boa a materia apesar de não concordar com tudo. Não acho que porque o jogador X ou Y, você ou eu aprendeu as manhas do jogo (falando da atualidade, pois as jogadas sempre mudam) que acertos no game não precisam ser feitos. Acho sim que tem que corrigir balanceamento nos personagens. Não digo que o jogo precise ser mudado muitas versões mas ao menos o bruto tem que ser corrigido em prol de equilibrar personagens pensando nos que jogam Muito e nos que jogam pouco.

    Reset (Indenfesavel) deveria ser nerfado sim, se isso é ou não é a unica vantagem do Cyrax, pra mim não importa até porque não creio nisso. Prefiro crer que a grande maioria não explora tanto este personagem porque os enormes combos dele descartam a necessidade buscar outras jogadas.

    Dizer que gastar barra pra sair de reset é uma vantagem é um absurdo em um jogo onde alguns personagems são absurdamente velozes e outros extremamente lentos.

    O MK não precisaria efetivamente utilizar o metodo atual de golpes de levantamento "invencivel" (especialmente os que ja começam combando) , modo de quebra de combo que lhe consome duas barras e etc… Apesar do modo que esta, ainda acho o jogo perfeito com suas imperfeições.

    Se tem algo que não pode deixar de ser corrigida neste jogo é a fisica. Por mim nao faço tanta questão de retirarem reset do Cyrax, as apelações do Kano contra alguns personagens (faca, faca, bolinha) e etc; agora esquecer da fisica: ex: magia de leque da kitana pega de lado invertido, você pula nas costas e o leque te levanta do lado inverso (acontece com varias magias)… isso tem que corrigir. O NETCODE tem que corrigir . O restante das reclamações por mim que deixem pra aplicar as correções em um novo jogo (MORTAL KOMBAT 10?).

    Moral da Historia:
    *O Jogo se tornou maduro.
    *O Jogo provavelmente não vai ser atualizado apesar de precisar.
    *Maioria de jogadores são conformados com a atual versão.
    *Apesar dos defeitos Mortal Kombat continua provando ser um jogo de Primeira linha.

    Minha opnião final: Com pequenas alterações no jogo, se feitas corretamente, é possivel que o Mortal Kombat conquiste jogadores de outros jogos e se torne o que Street Fighter 2 fez em sua epoca. O que ja é muito bom será Excelente.

  7. dg111 disse:

    A vantagem do P1 é um treco bem importante e que não influencia apenas nos pokes, pode terminar uma luta facilmente. Um P1 pula em vc com soco e o P2 usa o antiair do subzero (2) ou do kunglao (spin), e se os 2 ficarem ativos ao mesmo tempo, o P2 vai tomar um combo delícia game changer. Qualquer frame trap iniciada com combo starter vai virar um combo game changer também.

    O pior, é que o jogo é tão zoado que eu até prefiro assim, a idéia original da NRS é de que o resultado fosse aleatório para essas situações, o que pra mim é pior do que um jogador sempre tendo a preferência, já que o segundo caso pode ser amenizado com troca de lugares dos jogadores entre as partidas. Você tomar um combo de 80% por causa de má sorte, isso é ridículo.

    Por isso e por vários outros motivos eu parei de levar mortal kombat a sério, ainda jogo e vou continuar jogando mas não tem como eu levar um jogo tão mal acabado e tão random a sério.

  8. dg111 disse:

    ps: que b* esse esquema de ter que logar em alguma coisa pra poder fazer comments nas news, não tem como colocar a opção antiga junto dessas novas aí?

  9. Bruno Gustavo disse:

    Boa materia gostei mesmo mas outro personagem que ninguem falou e a milenna o personagem que só tem vantagem tudo que ela faz ela consegue contratacar antes de vc isso é fodis essa parada das fases ai dexa o randon faz a parte dele , jogo de cyrax nao por causa do reset sim por ele ser um personagem bom e rapido mas msm mesmo assim esse reset tem que sair pq tem gente q so joga com ele e fica fazendo so isso ai e osso mas pra mim e o melhor jogo de todos e que venho tekken tag 2 ai a porra vai fica seria kkk vlw

  10.  eu acho um absurdo no existir nos games de luta, tirando o Mk o Combo Breaker.
    Realmente é desagradavel voce tomar um combo de quase 100% da sua live e não ter nem como se safar disso… Aquela sensação horrivel de: po não ah nada que eu possa fazer.
    É humilhante isso. Já se foi o tempo que combo infinito era algo quase impossivel. hoje em dia ah uma gama de jogos que lhe permitem isso… kOF por exemplo. Porem o no KOF tu tem que ser BOM MESMO pra fazer algo que leve todo o HP do seu adversario.

    mas, mesmo o KOF, ainda acho burrada não existir uma maneira de barrar o combo supremo de seu adversario. É claro que pra isso tu teria que ter um custo… porem acho melhor assim do que ver sua life sumindo sem voce poder fazer NADA

  11. Bruno Gustavo disse:

    Boa materia gostei mesmo mas outro personagem que ninguem falou e a milenna o personagem que só tem vantagem tudo que ela faz ela consegue contratacar antes de vc isso é fodis essa parada das fases ai dexa o randon faz a parte dele , jogo de cyrax nao por causa do reset sim por ele ser um personagem bom e rapido mas msm mesmo assim esse reset tem que sair pq tem gente q so joga com ele e fica fazendo so isso ai e osso mas pra mim e o melhor jogo de todos e que venho tekken tag 2 ai a porra vai fica seria kkk vlw

    •  A Milenna é foda, mas se vc jogar bastante contra ela, da pra pegar a manha. O problema é que todos os golpes dela são de levantamento, ela tem extrema vantagem tanto perto quanto de longe. Milena é chata  de enfrentar, mas não acho apelona ao extremo, tem piores.

      • dg111 disse:

        A Mileena é um problema para os bonecos que não têm combo starters que acertem quando ela tá defendendo abaixado. Os 3 bonecos com quem eu jogo não têm combo que acertem ela defendendo abaixado (SZ, CY, KL). Vc não pode zonear ela por causa da magia aérea dela, teleport e roll. Vc não pode pular de longe por causa da magia aérea e roll, aí vc tem que ir pra cima. Só que quem vai pra cima pra começar o mixup de lows e highs, vai acertar os lows mas não vai acertar nenhum combo starter pra fazer dano, pq o primeiro golpe do combo não pega e o segundo consequentemente não vai pegar pq o d4 que ela apertou quando vc chegou perto, vai desviar do segundo golpe e te acertar. Então não tem mixups contra ela, vc tem que matar ela só dando rasteira de 3% de dano. Quando ela te acertar, vai fazer 30% de dano. Pulos crossup com socos pra começar combos também não pegam nela, por causa do d4 dela, e pra piorar vc fica quase um segundo sem defesa quando cai de um deep jumpin punch, aí vc toma um roll sem defesa. Vc pode com alguns chars acertar um deep jumpin kick e combar alguma coisa quando mileena tiver no ar, só que o d4 dela faz a voadora errar muito, e quando erra, vc fica sem defesa por algum tempo como no jumpin punch.

        A merda toda com Mileena e os outros bonecos com essa hurtbox bugada é apenas isso, se ajeitassem essa porcaria ela ia ficar um boneco bem interesante de usar, golpes bons, que punem bonecos do outro lado da tela, combam ou dão uma frame advantage gigante on hit, mas que são puníveis on block, overheads que são combo starters, blockstrings animais, nenhuma blockstring dela fica negativa on block, todas ficam pelo menos neutra. Só que por causa dessa hurtbox imbecil dela defendendo abaixada, certos bonecos simplesmente não jogam contra ela, ficam dependendo da Mileena fazer merda pra então punir.

  12. Com relação aos cenários, não vejo isso como problema muito sério. Muito pelo contrário, acho uma idéia excelente e que deveria ser explorada bem mais em jogos de luta com jogabilidade 2D.
    Se a variedade nos cenários fosse realmente um problema muito grande, não acho que jogos como Soul Calibur, Tekken, Virtua Fighter e Dead or Alive ainda deixariam a escolha do cenário como aleatória em torneios. A minha opinião é que a variedade nos cenários é ótima pra treinar o jogador a estar pronto pra situações diversas… assim como pneus de chuva na Fórmula 1 e saber que a grama fica mais escorregadia quando chove na partida de Futebol.

  13. Jorge Roos disse:

    a gente sabe q tem algo errado com o equilibrio e competividade de um jogo quando todos os jogadores usam o mesmo personagem! vide Kung Lao antes de nerfarem

    • Marcelo Costa De Oli disse:

      Na verdade o problema é do jogador, não do jogo, o que tem de retardado hoje em dia que só se baseia em tier list e matchup é incrível, Kabal no começo do game tinha um potencial MUITOOOOO maior, hoje em dia ele já é um personagem foda, antigamente ele era Deus, e ninguém jogava com ele por pura preguiça, nego preferia imitar o cara do lado.
      E acho meio nad a ver falar assim do MK, realmente acho a idéia do cenário uma coisa excelente!
      Situações diferentes em locais diferentes, é você treinar pro seu jogo poder mudar, afinal, o cara ser um bom jogador inclui isso, saber se adaptar a diversas situações.
      Vejo tanta gente chamando o Motal Kombat de bugado, e tanta gente defende UMVC3(mano, eu jogo isso só porque a galera joga mesmo, jogo mais por diversão, pra competição esse jogo é uma bosta), o jogo tem uma gama de possibilidades totalmente escrotas e toscas, o jogo é feito pra gente que gosta de jogar no modo automático, são poucos que jogam realmente prestando atenção no que estão fazendo e realmente dominam as técnicas de um personagem.

  14. Renato Vieira disse:

    Falou tudo Maximilian Rox, qdo toh a fim soh de jogar de boa e aprender com outros chars q não uso, nem jogo contra os fodões pra não passar raiva…